30/04/2016

Farinha Nestlé….é daqui

 

farinha_nestle_1931

- Cartaz publictário à farinha da nestlé, publicado no ano de 1931.

- Tópicos relacionados:

Milo – Nestlé – …e coisas da República

Milo - Hummmm, que delicioso!

Publicidade nostálgica - Milo da Nestlé

29/04/2016

Meias CD–em sete maravilhosos desenhos

 

meias_cd

 

Voltamos à memória da embelmática marca de meias C.D.. Aqui num cartaz publicitário datado de Fevereiro de 1965.

- Outros tópicos relacionados:

Meias C.D – Com C.D quem ganha é você!
Meias e peúgas CD
Belas pernas com meia-calça C.D.

28/04/2016

Gente do Amanhã - Tomorrow People - Série TV



Quando em 16 de Outubro de 1976, num sábado ao final da tarde, a RTP estreava a série de ficção científica "Espaço 1999", que viria a tornar-se numa das emblemáticas sérias dos anos 70 e de sempre no panorama televisivo nacional e mesmo mundial, saía de cena outra série, também de ficção científica, que até ali era exibida sensivelmente no mesmo horário, antes do Telejornal. Tratava-se da série "Gente do Amanhã", no original inglês "Tomorrow People".
Esta série estava direccionada para um público juvenil. Foi produzida pela Thames Television para a ITV Network e foi exibida entre 1973 e 1979, com um total de 68 episódios de cerca de 30 minutos cada. A série teve um remake em 1992 e um outro remake, americano, já em 2013.

A série retratava um grupo de adolescentes que tinham poderes especiais como comunicação entre si por telepatia e também tinham a capacidade de se tele-transportarem, de resto o que também acontecia na série "Espaço 1999". O seu laboratório secreto ficava localizado sob o solo algures na cidade de Londres numa estação de metro abandonada. Com a ajuda do sofisticado computador Tim, com quem dialogavam, combatiam a maldade tanto na terra como no espaço.

Na Internet, sobretudo no Youtube, é possível procurar e assistir a vários episódios desta interessante série e que na época tinha naturalmente outro deslumbramento tanto mais que a temática da ficção científica estava em alta.


27/04/2016

Sansui AU-505

Hoje trago à memória o amplificador AU-505 da Sansui, num cartaz monocromático publicado em 1974.

A Sansui é uma empresa japonesa do ramo de tecnologias de áudo e vídeo, que na actualidade pertence à chinesa Grande Holdings Ltd, com sede em Hong Kong e que detém outras marcas como a Akai  e Nakamichi.

A Sansui, com sede em Tóquio,  iniciou a sua actividade no pós-guerra, em 1947, fabricando sobretudo transformadores. Durante a década de 60 e 70 os seus equipamentos de áudio eram sinónimo de qualidade e muito apreciados por amadores e profissionais integrando aspectos tecnológicos então inovadores. 
Já pela década de 80 a Sansui e seus produtos começaram a perder notoriedade face à forte concorrência de marcas como a Pioneer Sony e Matsushita 's Technics, entre outras. Daí até fabricar para outras marcas foi um passo e na actualidade a Sansui é uma marca com pouca visibilidade, sobretudo no mercado ocidental e associada a produtos de venda em massa, com preços acessíveis e de qualidade duvidosa.

Na história das marcas e empresas há as que evoluem e acompanham o desenvolvimento tecnológic, modas e tendências de mercado e há as que acabam por não acompanhar o ritmo e ficam para trás, absorvidas por outras ou mesmo extintas. É a vida.

26/04/2016

Cartão Dinners Club - O pai dos cartões de crédito




Hoje trazemos à memória o Cartão Dinners, numa publicidade de 1974.

Este cartão em Portugal é gerido pela Redunicre. Estima-se que sejam utilizados 6,5 milhões de cartões Diners os quais são aceites em mais de 200 países, em 14 milhões de comerciantes.
O cartão Dinners apareceu em 1950 depois do seu criador, o empresário norte-americano Frank McNamara ter dado conta que se esqueceu da sua carteira ficando impossibilitado de pagar um jantar de negócios num restaurante em Manhattan - Nova York. Felizmente, apesar do embaraço, a sua esposa foi chamada a vir ao restaurante pagar a conta. Mas esta situação fez com que pensasse numa forma de pagar sem que para isso tivesse que ter dinheiro. 

Um ano depois deste acontecimento, num dos muitos restaurantes aderentes, procedeu ao pagamento da conta de um jantar com o que seria considerado como o primeiro cartão de crédito multiuso do mundo, tendo sido ajudado na sua criação pelos parceiros Ralph Schneider e Matty Simmons. Era um pequeno rectângulo de cartão e a sua ideia original era a sua utilização em contexto de restaurantes, daí o nome (Dinner=Jantar). Menos de uma década depois, em 1959, o cartão já estava espalhado pelo mundo e atingia um milhão de membros utilizadores. Em 1967 já era aceita em mais de 130 países um número superior ao de países que então faziam parta da Organização das Nações Unidas. Em 1969 torna-se o primeiro cartão de crédito utilizado na Rússia e em 1980 na China.

Em 1981 o Dinners Club foi adquirido pela Citicorp.Em 1987 o cartão Dinners permite o levantamento de dinheiro nas caixas multibanco. Em 1990 a revista Life Magazine reconhece Frank McNamara como um dos americanos mais influentes do século XX.
Na actualidade o Diners Club International Ltd. é uma das marcas mais reconhecidas nos serviços financeiros nos Estados Unidos e é propriedade da Discover Financial Services.
Na actualidade vivemos no mundo dos cartões e do dinheiro electrónico e há cartões de tudo e para tudo e tornaram-se num dos produtos que os bancos e outras empresas procuram impingir aos seus clientes. 
A verdade, porém, é que já não conseguimos viver sem eles, nem que seja o simples cartão de débito.

23/04/2016

O casamento do Fantasma

 

image

Já tivemos a oportunidade de falar aqui do Fantasma, herói de banda-desenhada que foi criado por Lee Falk, também autor do não menos famoso Mandrake.
Como é apanágio de muitos dos heróis da banda-desenhada, há quase sempre uma mulher nas suas vidas. Recorde-se Lois Lane no Super Homem, Mary Jane no Homem Aranha, a Pamela no Kalar e Princesa Narda no Mandrake, entre outras.
NO caso do Fantasma a sua namorada era a bela Diana Palmer e hoje trazemos à memória algumas páginas da revista Mundo de Aventuras, Nº 249 de 6 de Julho de 1978 onde é publicada a história em que ambos se casam. Argumento de Lee Falk e desenho de Sy Barry.

Para além do enlace, a particularidade de aparecer o Mandrake e seu amigo Lothar como convidados, o que se compreende pelo facto de, como atrás explicado, tanto o Fantasma como o Mandrake serem criações do Lee Falk embora com desenhadores diferentes.
Fica, pois, a evocação deste momento embelmático e particular das aventuras deste herói da nona arte.

image

image

image

image

22/04/2016

Matt Marriot–Tony Weare

 

image

Da Banda Desenhada que lia pelos anos 70 e por aí fora, no que a cowboyadas diz respeito, tenho para mim como das melhores as aventuras de Matt Marriot, do autor inglês Tony Weare (1912-1994).
As aventuras deste cowboy, sempre acpmpanhado pelo seu companheiro Luke "Powder" Horn, com o seu característico chapéu militar, foram publicadas no diário inglês London Evening News, no clássico formato de tiras diárias e a dominicais. A sua publicação teve início no ano de 1955 e terminou em 1977, 22 anos depois. As histórias eram escritas por Jim Edgar

Em Portugal Matt Marriot andou sobretudo pelas páginas da revista Mundo de Aventuras, da colecção Tigre, Condor, Jornal do Cuto, mas outras mais

A arte de Tony Weare é intensa  e expressiva, genial mesmo, de traço inconfundível caracterizado por fortes constrastes de luz e sombras, sobretudo pelo uso de tramas que em muitos dos quadros dispensa e substitui o contorno.

image

image

image

image

image

image

image

Talvez queira rever: