08/06/2008

Kalar - Banda Desenhada - Revista "O Falcão"


o falcao n1
"O Falcão" Capa da edição N.º 1, 1ª Série, publicado em 18-12-1958

kalar tigre_02

kalar falcao 476_02

kalar int 1

kalar int 3

kalar int 2

kalar int 6

Como aconteceu com muitos colegas da minha geração, o meu gosto e a paixão pela Banda Desenhada surgiram logo nos primeiros anos da escola primária, fortalecendo-se nos anos seguintes e hoje, embora com outra maturidade, a sétima arte continua a exercer o mesmo fascínio. Assim, desde cedo entrei no universo dos heróis e das suas fantásticas aventuras, embora, como seria natural, com preferências bem definidas, quer quanto ao género, quer quanto ao herói e mesmo considerando os respectivos criadores.

Neste contexto, para quem tomou conhecimento com a Banda Desenhada a partir dos anos 60 e 70, conhece perfeitamente a revista juvenil "O Falcão", de tiragem semanal, hoje extinta, mas que durante muitos anos fez a delícia de todos os entusiastas das aventuras desenhadas, dos seus heróis, cenários e personagens. A par da revista Mundo de Aventuras, será talvez a edição mais conhecida e popular  de todas quanto se publicaram entre nós.

A revista foi quase sempre semanal mas também quinzenal e até mensal. Foi publicada em 3 séries, a primeira com 82 números (formato maior e com várias histórias em continuação), a segunda (formato bolso) com 1286 e a terceira, mais recente, com apenas 25 números.
Em cada edição (a partir da 2ª série) era publicada uma aventura de um determinado herói, por isso alguns ganhavam certa preferência junto dos leitores. No meu caso, sempre preferi as aventuras de Kalar, Ogan (o Viking), Sandor (o corsário) e Oliver (Robin dos Bosques). Mas muitos outros herois eram os preferidos de outros colegas, nomeadamente o muito conhecido Major Alvega (intérpido piloto da RAF) um dos mais representados na colecção), ENE 3, Arizona Jim, Caribú, Dogfight Dixon, Jim Canadá, Texas Kid e outros mais. Todas as histórias eram provenientes de diversas editoras europeias.

Do leque dos meus preferidos, hoje destaco o herói Kalar: Kalar é uma criação do mestre espanhol Tomas Marco Nadal (Marco, como nome artístico), catalão, nascido em 1929 e falecido em 2000. Marco é um dos nomes grandes da Banda Desenhada europeia e espanhola, tendo produzido sobretudo em França, onde nasceu Kalar. A sua obra é de profunda qualidade, muito vasta e o herói da selva é apenas parte dela.
Kalar começa com a a queda na selva de um avião, onde seguia um playboy milionário, Jean Calard. O avião não resistiu à tempestade que sobre ele se abateu mas Calard sobrevive. Encontra então o pigmeu Bongo, que traduz à sua maneira o nome para Kalar. Kalar rapidamente se sente atraído pela selva e por lá fica, aprendendo os seus segredos.
Kalar tem muito do herói Tarzan, nomeadamente na sua relação com a selva, os seus habitantes e toda a envolvência humana, mas mais modernizado, sempre com a sua farda de explorador tropical, com a sua espingarda e o seu jipe. Kalar tem em muitos animais grandes amigos que o ajudam em muitas das aventuras, principalmente o inseparável chimpanzé Gib e o leão Simba. Kalar também tem a sua amiga e namorada, a bela Pamela, que faz papel de médica e que é figura muito regular nas suas aventuras. O cenário de Kalar localiza-se nas frondosas selvas do Quénia, na África.

Kalar destaca-se essencialmente pelo rigor do seu desenho, o que não é muito comum na revista "O Falcão", quase sempre com arte de pouca qualidade. Marco desenvolve páginas de um rico pormenor e valor estético, com uma profunda textura, quer ao  nível da representação humana mas principalamente da fauna e cenários da selva. Cada página está sempre povoada de animais e impregnada da densidade da paisagem tropical africana. São famosos os seus desenhos de vários animais da série, que, inclusive, deram lugar a obras complementares, designadas de O Bestiário, publicadas em francês e em espanhol.
Por tudo isto, sabe sempre bem retirar da estante um dos diversos exemplares de "O Falcão" onde Kalar nos dá a conhecer mais uma aventura. Kalar, no entanto, foi publicado em outras colecções, nomeadamente a "Tigre", de formato idêntico à revista de "O Falcão" e também na Kuandor.

4 comentários:

  1. Meu Deus... os anos que este herói Kalar já leva...! Não sei o que dava por uma colectânea das aventuras dele.

    Fantásticas memórias me trouxe, caro Amigo!

    Ricardo Abreu

    ResponderEliminar
  2. Também gosto muito da BD do Kalar - Falcão. Falta-me o nº755, para completar todos os livros do Kalar-Falcão.

    ResponderEliminar
  3. Viva, estou a arrancar com um projecto para trazer para formato digital todos os números do Falcão se possivel...

    Se alguem tiver Falcões em casa, scanner, algum tempo e gostar de participar neste projecto, convido-vos a visitar:

    http://tralhasvarias.blogspot.com/2012/05/o-falcao-todos-os-numeros.html

    Gd abco a todos os amantes destas revistas!

    Gizmo

    ResponderEliminar
  4. O Kalar também foi publicado na coleção Condor.

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: