31/01/2009

Simplesmente Maria

 

Quem se lembra da rádio-novela "Simplesmente Maria"?
Pessoalmente, era criança, frequentava o Ciclo Preparatório TV, mas lembro-me perfeitamente desse marco da rádio portuguesa.


Simplesmente Maria era um folhetim que passou na Rádio Renascença, ao longo de 500 episódios (ena tantos...), entre Março de 1973 e Novembro de 1974, transpondo, por isso, o tempo da Revolução do 25 de Abril de 1974.
Cada episódio ía para o ar depois do almoço, entre as 13:30 e 14:30 horas, mais coisa menos coisa.
A história deste folhetim radiofónico, uma espécie de telenovela sonora, girava à volta de amores e desamores da figura central, uma jovem criada chamada Maria.
Era uma história de "faca e alguidar", muito característica das novelas mexicanas. O script tinha a autoria de Maria del Pilar Casares, pelo que não era de surpreender o estilo.
Certo é que folhetim prendeu literalmente a atenção de milhares e milhares de portugueses (mulheres em particular) durante quase dois anos. Após o almoço, as mulheres da altura, quase todas domésticas, ficavam de ouvido colado ao aparelho de rádio e lenço na mão para enxugar as lágrimas. Recordo-me perfeitamente que na aldeia, nessa hora "solene" tudo parava para não se perder pitada dos diálogos e discussões da Maria com o Alberto, o Tony, filha da Maria, do Estevão e todos os outros. Só visto...ou melhor...só ouvido. Depois, eram as conversas à volta do assunto, as opiniões e os palpites quanto ao rumo da história. Penso que situação igual só se verificaria uns poucos anos mais tarde (1977) com a telenovela brasileira "Gabriela", a primeira a passar na RTP.


Na altura, apesar de estar consciente do fenómeno, fazia-me confusão ver tanta dedicação e entusiasmo do mulherio apesar dos folhetins radiofónicos serem relativamente vulgares.


A popularidade era tal que, a par da versão radiofónica, era publicada semanalmente a versão em revista, a chamada fotonovela, com edição a cores, que se tornou assim muito popular, rivalizando com as famosas fotonovelas da Corin Tellado que nessa época eram devoradas pelas mulheres portuguesas.


Pela revista, chamada também Simplesmente Maria, ficamos a saber os nomes das principais personagens e intérpretes:

Maria: Maria...Simplesmente
Alberto: Fernando Serrano
Tony: Miguel Dias
Estevão: Marcos Graça
Teresa: Luisa Fernandes
Carlos: Rafael Rodrigues
Inês: Helena Torres
Ricardo: Luis Marqués
Isabel: Olga Rios
Susana: Elka Mayer
Genoveva: Mariana Vale
Rosa: Irene Antunes

A revista Simplesmente Maria tinha como Director, José Maya, era impressa em Espanha e distribuida pela Regimprensa.

Nunca cheguei a saber, mesmo agora, se as vozes que se ouviam na rádio correspondiam às pessoas que faziam parte da fotonovela. Penso que não, mas não garanto. Talvez apareça alguém que esclareça. Sei, isso sim, que a música principal era interpretada pelo...Cândido Mota.

simplesmente maria 15

simplesmente maria 03

simplesmente maria 12

simplesmente maria 10

simplesmente maria 09

simplesmente maria 08

simplesmente maria 01

simplesmente maria 07

simplesmente maria 06

simplesmente maria 05

simplesmente maria 04

simplesmente maria 02

simplesmente maria 13

simplesmente maria 11

simplesmente maria 14

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Foi uma enorme viagem, esta a que acabei de fazer.
    Era bem pequena, e recordo-me do folhetim radiofónico e dos fascículos. Lembro-me de acompanhar a história e para tal, também encostava o ouvido à telefonia (imitando os adultos). Mas os diálogos e os amores e desamores geravam na altura na minha pequenita cabeça, muita confusão.
    Que bom que foi recordar esse tempo tão longinquo...

    ResponderEliminar
  4. adorei rever estas imagens que estavam adormecidadas desde os meus 12 13 anos nao sei precisar bem sei que eu vinha da escola e a primeira coisa que fazia era sentar-me a ouvir esta novela adorei recordar aquele tempo, obrigado

    ResponderEliminar
  5. Adorei recordar os meus tempos de pequenita, nos quais ouvia a radionovela com a minha Mãe querida.

    ResponderEliminar
  6. Gostava muito de ter os livros desta radionovela que eu ouvia quando ainda era criança mas não sei como os poderei adquirir, alguém sabe?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa ttarde,

      Tenho bastantes volumes e em excelente estado.
      Ainda tem interesse na compra?

      Eliminar
  7. Deu no "perdidos e achados" da SIC de 29/12/2012 uma reportagem sobre a rádio novela "Simplesmente Maria". Os actores da radio eram portugueses logo não tinham nada a ver com as adaptações que aparecem na revista. No Brasil foi adaptada a novela em 1970 e no Peru em 1969.

    http://www.imdb.com/title/tt0209799/?ref_=fn_al_tt_1

    Em Portugal os nomes dos actores não eram divulgados. Era por exemplo o Carlos Queirós (irmão da Florbela), o João Lourenço, etc

    http://sicnoticias.sapo.pt/programas/perdidoseachados/2012/12/26/simplesmente-maria

    http://industrias-culturais.blogspot.pt/2013/01/simplesmente-maria.html

    ResponderEliminar
  8. Adorei recordar esta radionovela e ainda mais o tempo em que ela aconteceu uma vez que remontei aos meus singelos treze anos. De facto causou um grande impacto na população em geral especialmente mulheres como seria de esperar mas não restam dúvidas que também fez algum sucesso junto do público masculino.
    Nem sempre assistia aos capítulos por causa do horário das aulas mas sempre que podia lá estava eu com algumas colegas e também nossas mães e outras mulheres que se juntavam religiosamente aquela hora do dia e com um entusiasmo contagiante. Paralelamente havia a fotonovela para complementar a história e era bastante atractiva... ainda adquiri uns fascículos ficando guardados durante anos mas ... não sei se ainda existirãoi?? Um bem haja a todos vocês e felicitações ao blog.

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: