04/05/2009

Vasco Granja - Cinema de Animação – O Lápis Mágico

 

Uma das boas nostalgias do meu tempo de criança prende-se com a rubrica televisiva, "Cinema de Animação", apresentada pelo inesquecível e carismático Vasco Granja.

O programa "Cinema de Animação" teve o seu início em 1974, logo após a revolução do 25 de Abril e aguentou-se durante 16 anos, até 1990, tendo sido apresentados cerca de um milhar de edições.

Este programa da RTP, iniciado ainda no tempo do "preto-e-branco", primava pela variedade de desenhos animados que passava, apesar do apresentador, especialista de cinema de animação, mostrar uma preferência especial pelas produções dos países de leste, nomeadamente da Polónia, Jugoslávia e Checoslováquia, muitas vezes de características experimentalistas, em contraponto às clássicas séries dos Estados Unidos, nomeadamente da Disney e da Looney Tunes.

Vasco Granja seleccionava filmes de vários países, desde a Europa até ao Japão, incluindo filmes oriundos do Canadá, então muito forte no cinema de animação experimental, nomeadamente de autoria de Norman McLaren, um dos confessos realizadores preferidos do apresentador. A Vasco Granja e ao seu “Cinema de Animação” deve-se também a divulgação e popularidade da série “A pantera cor-de-rosa”, de Friz Freleng e David DePatie, sendo, à custa disso, apelidado de "o pai da pantera cor-de-rosa”.

De todos os bons filmes de animação que eu via no "Cinema de Animação", incluindo a “Pantera cor-de-rosa”, que continua a agradar, mesmo às novas gerações, a série "O Lápis Mágico" foi aquela que mais tocou a minha imaginação de criança.

"O Lápis Mágico", no original "Zaczarowany Olowek", era uma produção polaca, cujos episódios, com cerca de 10 minutos cada, giravam à volta de um menino que tinha como amigo um duende que por sua vez lhe emprestava um lápis com capacidades mágicas, pelo que tudo o que o menino desenhasse se materializava, tanto objectos como animais. O menino tinha ainda um inseparável companheiro, um cão amarelo, muito irrequieto e inteligente, que o ajudava em inúmeras situações.


O lápis mágico só funcionava em situações especiais, normalmente numa perspectiva do Bem  mas nunca ao serviço do Mal, principalmente quando alguém se apropriava do lápis ou obrigava o menino a fazer desenhos para uso maldoso.

Esta série de animação, como muitas outras tão características dos chamados países de Leste, não tinha falas e por conseguinte era apresentada sem legendas, mas apenas com música e sons. Apesar disso, as histórias eram de fácil compreensão para as crianças, mesmo as que ainda não sabiam ler e transmitiam valores de alegria, paz e amor, como fazia questão o apresentador.


Apesar da simplicidade da realização, esta série "O Lápis Mágico", tornou-se uma das preferidas da rubrica "Cinema de Animação" e deu azo a muitas e imaginativas brincadeiras. Pessoalmente, fartei-me de romper lápis e riscar paredes e papel na expectativa infantil de ver transformar-se em realidade os bolos, carros, cães e gatos que desenhava.
Felizmente, para matar saudades e voltar a divertir, e até para recordar a inesquecível música de abertura, hoje em dia ainda é possível assistir a vários episódios dispersos no sítio YouTube, bastando escrever na caixa de procura o título original, "Zaczarowany Olowek".

 

vasco granja cinema de animacao

Vasco Granja, o apresentador de “Cinema de Animação”

lapis magico 01

Genérico de abertura

lapis magico 02

O menino que utilizava o lápis mágico

lapis magico 03

O cão, companheiro do menino.

lapis magico 04

O menino e o cão

lapis magico 06

O duende entregando o lápis mágico ao menino

lapis magico 05

O menino a desenhar um urso

lapis magico 07

O menino a desenhar uma chave

 

- Sobre Vasco Granja: Entrevista biográfica

 

 

*****SN*****

5 comentários:

  1. Cheguei aqui por um motivo triste!
    Mas gostei muito de ler! Tb Vasco Granja, marcou a minha infância!positivamente.

    ResponderEliminar
  2. Quantas das minhas recordações de infância, estão ligadas ao " Cinema de Animação" e obviamente ao Vasco Granja e particularmente ao "Lápis Mágico"...

    Que bom que é recordar tudo isso, aqui e manter a memória viva!

    Obrigado

    ResponderEliminar
  3. O Vasco Granja apresentou-me e deu-me a conhecer a maravilhosa Lotte Reiniger (alema exilada na Gra-Bretanha) e, claro, os fantasticos animadores da Europa de Leste e a escola Canadiana...enriqueceu-me e estou-lhe muito agradecida.
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  4. Ando há anos à procura de umas animações (que penso terem sido transmitidas neste programa, porque me lembro bem das que referiu aqui). Uma era feita com marionetas: duas bruxas que voltavam a casa depois de uma viagem. Outra de uma tesoura perto de um foguetão que recortava elementos espaciais. Outra de dois bonecos em plasticina (um esguio e outro gordo) que emitiam uns grunhidos. Uma outra, dois vampiros que se perseguiam mutuamente...
    Sei que não consegui trazer muita luz sobre o que procuro, mas gostaria muito de saber se me consegue dar alguma pista sobre o que quer que seja que possa ajudar com a minha busca.
    Obrigada,
    Constanza

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: