12/05/2009

Coisas sentidas - 1

 

Eu sei. Eu sei que não sou poeta nem almejo a esse enlevado estado de alma, tão intrínseco dessas criativas criaturas, capazes de nos arrebatar a estados de sublimes emoções. Mas, pronto… por vezes, mesmo que a um simples mortal, surge om lampejo de sensibilidade, um raro vislumbre de sentimentos e a coisa dá para algo parecido com poesia, se calhar nem tanto no âmago mas pelo menos na forma.

Sendo assim, e porque também importam em nostalgias, permitir-me-ão os meus visitantes, que de vez em quando por aqui rabisque alguns desses lamentos ou exaltações emocionais. Em suma, deixem-me tentar ser poeta, ainda que por efêmeros instantes.

solidao santa nostalgia 12052009 02

(clicar para ampliar)

 

Solidão

Gosto da solidão da alma,
Como da solidão dos montes,
Planícies doces e vagas.
Gosto dessa paz, dessa calma,
Do suave cantar das fontes
Do morno calor das fragas.

 

*****Santa Nostalgia*****

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: