30/05/2009

Maio - Mês das cerejas

 

cerejas santa nostalgia 30052009

cerejas santa nostalgia 30052009 02

cerejas santa nostalgia 30052009 03

(clicar nas imagens para ampliar)

 

Em Portugal, Maio é considerado o mês das cerejas. É claro que mesmo Junho é ainda abundante, mas por tradição creio que o mês das flores merece essa distinção.

As cerejas das fotos foram colhidas na cerejeira que mora no meu quintal, sendo que a maior parte está, inapelavelmente, destinada aos pássaros que por estes dias pousam abundantes e gulosos na cerejeira: Melros, pardais, rolas, poupas, gaios, pegas, piscos, verdelhões e outros mais. A passarada adora cerejas e com um manjar destes fazem autênticos festins (à minha custa, é certo, mas sobretudo da Natureza).

As cerejas fazem-me transportar aos meus tempos de criança e adolescente e às enormes e frondosas cerejeiras que existiam na quinta dos meus avôs paternos. Por esta altura do ano, eu os meus irmãos e primos, frequente e destemidamente, trepávamos até ao alto, baloiçando nos ramos, colhendo e comendo. Eram autênticas barrigadas de cerejas, nas quentes tardes de Maio e Junho. Enfeitávamos as orelhas com os famosos "brincos de cerejas".

As cerejas de tão doces que eram, provocavam muita sede, mas aí era um castigo porque sempre ouvimos dizer que as cerejas não querem acompanhamento com água, mas bom vinho. Os meus pais, para meterem medo, contavam histórias de gente gulosa que morria de congestão de cerejas bem regadas com água. Por isso, "como quem tem cú tem medo", era um aguentar, com a fonte de água ali à beira, sempre fresca a caír num grande tanque que existia debaixo de uma latada de vinho americano.

Em Portugal, são famosas as regiões produtoras de Trás-os-Montes, como Alfândega da Fé e Douro Sul, como Resende, Penajóia e outras mais e ainda o Fundão, na Cova da Beira. Apesar disso, as cerejeiras adaptam-se relativamente bem em qualquer zona, desde que em locais abrigados e solarengos. Na minha região, Beira Litoral, entre o mar e a serra, recordo-me que quando era criança as cerejeiras eram muito vulgares. Hoje em dia, já não é bem assim, pelo que são menos abundantes, até porque é uma árvore que deixada crescer livremente atinge um elevado porte. A do meu quintal deve ter seguramente uns 8 a 10 metros, e ainda é relativamente jovem. Não é, pois, árvore para qualquer bocado de terra nem jardim.

Como acontece em muitas zonas do país, também por aqui realizam-se várias festas ou romarias locais caracterizadas pela venda da cereja pelo que é uma delícia ver várias bancas repletas de vistosas e sucolentas cerejas. Por outro lado, algumas estradas estão pejas de vendedores de cerejas que descem da região de Resende e Lamego.

 

*****SN*****

 

1 comentário:

  1. También son famosas las cerezas del Valle del Jerte. En una de esas fiestas de la cereza, fue invitado de honor Luis Figo.

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: