24/07/2009

Chegada do Homem à Lua

 

tintin na lua 03 santa nostalgia

A propósito dos 40 anos sobre a chegada do Homem à Lua, ressuscitaram algumas teorias de conspiração quanto ao facto de tudo ter sido uma encenação, filmada secretamente algures no deserto do Nevada.

Tenho para mim que as teorias de conspiração são sempre bons exercícios da imaginação e servem para espicaçar as célulazinhas cinzentas, como diria Poirot. É verdade também que conseguem sempre lançar dúvidas nos mais cépticos e dados a estas teorias.
No caso da chegada do homem à Lua, pessoalmente entendo que realmente não faz sentido, desde logo porque a União Soviética também estava na corrida e certamente que tinha meios para comprovar e desmascarar qualquer ocorrência falseada promovida pelos americanos.

Por outro lado normalmente estas teorias, quase todas baseadas nas análises das fotografias disponibilizadas pela NASA, e que exploram algumas situações relacionadas com a projecção das sombras,  da luz, da gravidade, entre outras desconfianças, reportam-se no geral à primeira alunagem esquecendo-se que existiram posteriormente mais algumas missões com êxito. Efectivamente depois da Apollo 11, seguiram-se mais 6 missões sendo que 5 delas pousaram na lua. Por isso foram já 12 os astronautas que caminharam em solo lunar.

 

tintin na lua 02

Pessoalmente, recordo-me  razoavelmente de assitir à transmissão do acontecimento pela RTP, a preto-e-branco. Fascinavam-me todas aquelas imagens do Centro Espacial, com vários cientistas rodeados de tecnologias a comunicarem com os astronautas.
Na minha inocência de criança recordo-me de à noite vir para o exterior olhar para a lua a tentar ver os astronautas e o módulo lunar. Talvez influências do Tintin, que já lia nessa altura. O seu autor, Hergé, notavelmente, conseguiu antecipar esse velho sonho do Homem. É verdade que a imaginação é uma verdadeira máquina do tempo mas em muitos aspectos a viagem de Tintin não foi muito diferente da Apollo 11. Mesmo ao nível das tão polémicas sombras, um dos argumentos dos cépticos, repare-se que Hergé fez esse trabalho quase rigoroso, tendo em conta a baixa posição do sol relativamente à Lua, desenhando umas sombras extraordinariamente longas, mesmo as resultantes das pequenas saliências do Mar da Tranquilidade.


Não duvido que a famosa frase  Neil Armstrong foi previamente decorada e ensaiada mas corresponde à descrição real do acontecimento. Efectivamente foi um pequeno passo para o Homem mas um grande salto para a Humanidade. Nessa altura, porém, eu não tinha a percepção de tal importância. Essa aventura espacial continuava a ser tangível sobretudo nas páginas da banda desenhada em heróis como o Tintin,  Flash Gordon e Buck Rogers.

 

barra2

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: