05/10/2009

Cães de Raça – Caderneta de cromos dos gelados Olá

 

Os gelados Olá sempre tiveram uma tradição de oferta de brindes que muito ajudou a cimentar a popularidade da marca junto dos consumidores mais novos. É o caso da colecção de cromos CÃES DE RAÇA. Esta colecção é constituída por um total de 96 cromos, representando igual número de raças das mais conhecidas a nível mundial.

As raças portuguesas estão representadas com três cromos referentes ao Cão Serra da Estrela, cromo Nº 4, o Cão Castro Laboreiro, cromo Nº 14 e o Cão Perdigueiro Português, cromo Nº 22.

A capa da caderneta, para além do título e do logotipo da marca Olá, apresenta um vistoso cão da raça Collie, talvez pelo oportunismo da popularidade da série de TV, Lassie.

Não cheguei a coleccionar esta caderneta mas recordo-me de me passarem pelas mãos alguns cromos. Do exemplar que obtive não consegui determinar o ano da publicação mas tenho algumas referências de que será do ano de 1969.

Os cromos fugiam do formato tradicional rectangular, já que cada figura era recortada sensivelmente pela silhueta de cada cão. Depois eram colados em sítio próprio na caderneta em cima de uma espécia de cenário. Na parte inferior de cada página da caderneta, era feita um breve síntese da raça referente a cada cromo.

Na contracapa era reproduzido um esquema de perfil de um cão com a indicação das diferentes zonas do corpo.

Fica a recordação desta caderneta muito simpática e instrutiva, como era norma na época.

Quanto às memórias pessoais relacionadas com cães, elas são muitas. Desde sempre os meus pais tiveram cães, sobretudo para guardar a casa. Eram essencialmente cães ditos rafeiros, até porque nesses tempos não tínhamos a noção das raças. Recordo-me sobretudo de um cão que tivemos, chamado Bobi, que era extremamente carinhoso e obediente para com o pessoal da casa mas deveras agressivo para com os visitantes. Das vezes que conseguia soltar-se, o primeiro que apanhasse na rua era mordidela certa. À custa desses problemas, um dia o meu avô que trabalhava na ocasião na zona de Coimbra, decidiu levá-lo para uma quinta de pessoas conhecidas, para ficar como cão de guarda.  A verdade é que o cão deve ter-se soltado na mesma ocasião pelo que volvida uma semana regressou a casa perfazendo uma distância de quase 80 quilómetros, o que é notável. Depois dessa façanha o Bobi passou a ser mais estimado pelo que voltou a ocupar o lugar de guarda da casa. Infelizmente, um dia soltou-se novamente e seguindo o meu pai para o trabalho, acabou por não mais regressar, talvez devido a atropelamento ou por algo envenenado que comeu por onde passou. Nunca o soubemos.

Depois do Bobi tivemos outros cães, igualmente dedicados à casa, igualmente com interessantes histórias que poderão ser recordadas noutra altura.

 

caes de raca ola sn1

caes de raca ola sn2

caes de raca ola sn3

caes de raca ola sn4

caes de raca ola sn5

caes de raca ola sn6

*

*

*

5 comentários:

  1. ¿No figura el "podengo portugués" en la colección?

    ResponderEliminar
  2. El Dr. Anacoreta.....¿Asesor técnico de la colección?

    ResponderEliminar
  3. filomeno,
    parece que não. No entanto seria merecedor dessa distinção.

    ResponderEliminar
  4. E ainda hoje o símbolo do SuperMaxi é um cão

    ResponderEliminar
  5. Tenho a caderneta completa. A coleção é de 1974 ou 1975...

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: