14/10/2009

O palhaço verde – Matilde Rosa Araújo e Maria Keil

 

o palhaco verde matilde rosa araujo maria keil.jpg

o palhaco verde matilde rosa araujo maria keil 2

 

Hoje quero falar de “O Palhaço Verde”, uma das belas histórias da Matilde Rosa Araújo, ilustrada pela Maria Keil, cujas ilustrações povoam para sempre o meu imaginário.

Este livro é uma das obras emblemáticas tanto da Matilde como da Maria Keil e libertei-o numa qualquer feira de velharias pelo módico resgate de 1 euro. O livro tem uma dedicatória manuscrita: “Para o António Carlos, com muito carinho da sua amiga Matilde. 4 – Abril 1981″.

Quem seria este António Carlos, tão displicente e ingrato a ponto de, em princípio, abandonar assim um livro dedicado carinhosamente por uma amiga, mesmo passados 28 anos? E quem seria esta Matilde? Será uma feliz coincidência a ponto de se tratar da própria autora, numa dedicatória manuscrita algures numa sessão de autógrafos? Alguém conhecedor(a) de Matilde Rosa Araújo, será capaz de reconhecer a sua caligrafia? A ser verdade, a confirmar-se essa coincidência, ficaria feliz e orgulhoso, mesmo não sendo eu o António Carlos. Ficaria feliz, digo, porque para além da magia e ternura da sua obra, bem como da Maria Keil, a ela pertence certamente os primeiros versos que ouvi na forma de poesia:

“Mãe, que verdade linda o nascer encerra: Eu nasci de ti como a flor da terra”.

Quando Matilde Rosa Araújo e Maria Keil se juntam, acontece magia.

*

*

*

6 comentários:

  1. Belo post:) Como o compreendo. Penso que o autor do Blog da rua Onze poderá esclarecer sobre o autógrafo.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. T,
    obrigado pela sugestão.
    Já dei um salto à Rua Onze e lancei a questão.

    ResponderEliminar
  3. A grafia parece corresponder à de Matilde Rosa Araújo.
    Não vejo qualquer razão para que este não seja um autógrafo dessa autora, uma vez que a falsificação de assinaturas de escritores/as contemporâneo/as ainda não é uma área em expansão.
    Poderá comparar a grafia constante do seu exemplar com a que se encontra aqui reproduzida: http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://www.app.pt/nte/matilde/tragedia1.gif&imgrefurl=http://www.app.pt/nte/matilde/tragedia.htm&usg=__u7ecmhs-axdW6ovvVQZc8X0zwnM=&h=725&w=334&sz=39&hl=pt-PT&start=10&um=1&tbnid=hdb_mV6LOVscnM:&tbnh=140&tbnw=64&prev=/images%3Fq%3D%2522matilde%2Brosa%2Bara%25C3%25BAjo%2522%26hl%3Dpt-PT%26sa%3DG%26um%3D1

    Saudações.

    R11B

    ResponderEliminar
  4. R11B,
    obrigado pelo esclarecimento.
    De facto é como diz. É nitidamente a mesma assinatura, obviamente com as nuances próprias, resultantes até da idade.
    Significa isto que tenho o prazer de ter um belo livro autografado pela Matilde Rosa Araújo, embora, não seja o António Carlos a quem ela o dedicou.
    Grato pela ajuda.
    Obrigado também à T.

    ResponderEliminar
  5. R11B,
    gostaria de esclarecer que a minha dúvida não foi tanto numa perspectiva de falsificação, até porque não vejo o interesse em tal, mas sim no esclarecimento se a assinatura Matilde seria da própria autora, o que seria a tal feliz coincidência, ou se seria outra qualquer Matilde que decidiu comprar o livro para oferecer a um amigo ou familiar. De todo o modo seria também uma coincidência.

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: