09/03/2010

Vestuário – Roupas dos anos 60 - XV

 

Voltamos a um tema muito saudoso de muitos dos nossos habituais visitantes, que é o das nostalgias das características roupas dos anos 60, nomeadamente os modelos de crianças, no caso aconselhados para o mês de Março, habitualmente o mês dos últimos frios e dos primeiros dias quentes, e com os dias já a cheirar a Primavera. Como sempre, como principal tónica, a simplicidade dos respectivos cortes.

vestuario_anos_60_sn_15_01

vestuario_anos_60_sn_15_04

vestuario_anos_60_sn_15_05

(clicar nas imagens para ampliar)

*

*

3 comentários:

  1. Oi, adoro teu blog , tudo muito lindo como sempre,visite meu blog também,sobre artesanato em geral, com várias receitas,beijokas
    http://agulhaetricot.com
    http://agulhaetricot.blogspot.com
    http://titacarre.elo7.com.br

    ResponderEliminar
  2. Ao olhar para estes figurinos, voltei à minha infância. Lembro-me de nos finais dos anos 60, o porte à porter ainda não estar vulgarizado. Comprávamos o tecido nos saldos, ou na feira.Íamos à costureira, onde ela tinha um monte de figurinos deste tipo.Escolhíamos um dos modelos, a modista tirava as medidas e depois voltávamos lá mais duas ou três vezes para se fazerem as provas. Normalmente, para quem era pobre como eu, estreávamos uma roupa no Natal, outra no aniversário, as quais serviriam depois para vestir ao Domingo, para levar à missa.Quando deixasse de servir passava para a irmã a seguir, ou então dava-se a quem precisasse mais do que nós. Não se deitava nada fora! Os sapatos,eram sempre adquiridos nos saldos e quando fechados eram comprados um ou dois números acima, colocava-se algodão na frente, para assim poderem acompanhar o crescimento do pé. Quando conto isto às minhas filhas riem-se, e dizem uma para a outra "e o drama se instala, aí vem mais uma história de ir às lágrimas". Mas nada disto me deixou qualquer marca negativa. Fui uma criança feliz, e gostava muito que os nossos jovens percebessem que não é a quantidade de coisas que se tem, mas sim a qualidade do relacionamento interpessoal que nos torna adultos conscientes, solidários e capazes de ajudar a criar uma sociedade, mais justa e feliz!

    ResponderEliminar
  3. É verdade,nossa alegria ao ganhar as coisas novas era maior, mais intensa, pois nada vinha fácil....

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: