26/09/2010

Brinquedos de lata da PEPE e AML - Armindo Moreira Lopes


Com o jornal CORREIO DA MANHà foi hoje iniciada a distribuição de uma colecção de brinquedos de folha-de-flandres litografada, designada de “Brinquedos de outros tempos”. Serão 25 fascículos e a cada um corresponde a entrega de uma réplica de outras tantos famosos brinquedos. A primeira, feita hoje dia 26 de Setembro, com preço de lançamento custou 1,95 euros + compra do jornal, incluindo o respectivo fascículo e uma réplica de um modelo Bugatti de 1930, originalmente fabricado pela famosa marca Payá, de Ibi - Alicante – Espanha.

A réplica, já se vê, é made in China, e para além de todos os defeitos de uma réplica que se pretende económica, é produzida numa escala reduzida (19 cm) relativamente ao original  (50 cm). Mesmo assim, o resultado final não desmerece e todo o conjunto de 25 miniaturas será uma bela colecção a trazer à memória os brinquedos de outros tempos. O Bugatty funciona com um clássico sistema de corda, pelo que vem acompanhado de uma chavinha para dar-à-corda. Como não podia deixar de ser, acabei por comprar a réplica até porque o preço de lançamento era aliciante. Cada uma das restantes 24 entregas custará 9,95 euros + jornal.

Na sequência desta notícia, trago à memória um belo brinquedo de outros tempos, igualmente fabricado em chapa, mas com técnica diferente, e de fabrico português, concretamente pela AML - Armindo Moreira Lopes, a qual durante muitos e bons anos produziu fantásticos brinquedos que ainda hoje povoam o nosso imaginário infantil. Tenho a sorte de ter guardado desses tempos três exemplares que volta-e-meia devolvem-me esses deliciosos tempos em que à sombra de um velho carvalho, enquanto guardava o gado a pastar, me entretinha com este brinquedo.

Das minhas lembranças, recordo ainda a festa anual da minha aldeia com as tendas de venda de brinquedos, sempre ladeadas por olhitos arregalados fixos nesses artigos mágicos. Ganhava-se tostões durante o ano, fazendo-se diligentes recados e como paga de bons comportamentos (o que era difícil de ganhar), para que na hora da festa houvesse saldo pelo menos para um deles, fosse um camião de lata da APL ou da PEPE, uma espingarda que atirava paus ou qualquer outro.

As origens da PEPE recuam até ao ano de 1928, em Alfena – Ermesinde (terra de minha madrinha) fundada por José Augusto Júnior, então produzindo brinquedos em madeira e folha-de-flandres. Mais tarde, em 1946, essa instalação deriva para a Indústria de Quinquilharias de Ermesinde. Em 1955, é criada a marca JATO e é iniciada a inevitável produção de brinquedos em plástico mas mantendo-se a componente de fabrico em lata. Já nos anos 70, com a empresa a ser dirigida pelos filhos do fundador, a marca deriva para PEPE (do apelido Penela e Penela). Em 1977 é abandonada a produção dos brinquedos em lata passando o plástico a ser o material exclusivo.
Curiosamente, numa espécie de regresso ao passado, ainda hoje são produzidos alguns dos emblemáticos brinquedos da PEPE destinados a lojas de nostalgia, essencialmente para coleccionadores ou saudosistas.

Também de Alfena - Ermesinde, a AML - Armindo Moreira Lopes & Filhos, L.da produziu entre os anos 40 e 70 fantásticos brinquedos em chapa que ainda hoje resistem não só no nosso imaginário como nos sótãos ou mesmo em montras e prateleiras de muitos saudosistas e coleccionadores. Encerrou as portas em 1975 depois de 37 anos a produzir brinquedos,

brinquedos de outros tempos
- Fascículo 1 da colecção “Brinquedos de outros Tempos”.

brinquedos de outros tempos sn_04
- O Bugatti, hoje distribuido com o CM.

brinquedos paya
- Cartaz publicitário dos brinquedos Payá.

camiao pepe sn_01

camiao pepe sn_02

camiao pepe sn_03

- As minhas camionetas, da AML.

moto pepe

- Moto com carrinho – Outro dos emblemáticos brinquedos da AML

cavalo pepe

- Cavalinho com carroça – Outro nostálgico brinquedo da AML (ou da PEPE?)

Link interessante: História da JAJ, JATO e PEPE (Almatoys)

2 comentários:

  1. Esta colecção é a segunda vez que é editada. Uma excelente reedição, para matar saudades...

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, desde já os meus parabéns pelo excelente blog. A razão do meu comentário deve-se ao facto de as camionetes, o triciclo e a carroça não serem Pepe, mas sim Armindo Moreira Lopes, embora tenha algumas dúvidas na carroça. A Pepe não fabricava brinquedos totalmente em lata, por norma eram em plástico com algumas partes em lata como as bases.

    Já agora convido a visitar o meu blog dedicado ao brinquedo português http://brinquedoportugues.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: