13/01/2011

O Justiceiro - Knight Rider

 

Está a passar na RTP Memória uma das típicas séries de televisão produzidas nos Estados Unidos, uma das muitas que caracterizaram os anos 80. Trata-se da série "O Justiceiro", no original "Knight Rider", com o conhecido actor David Hasselhoff, que mais tarde reforçou a sua popularidade com o papel do nadador-salvador Mitch Buchannon, numa outra série de culto, o "Marés Vivas", também conhecido pela participação da bombástica Pamela Anderson.


Michael Knight, interpretado por David Hasselhoff, é um agente ou detective especial cuja personalidade e identidade lhe foram atribuídas depois de ter sido dado como morto num combate na guerra do Vietnam, onde era soldado. Secretamente foi salvo e transfigurado num bonitão (quem diria), pronto a combater o crime e os criminosos na “sela” do seu “cavalo”.

Na série, Michael Knight, está profundamente ligado ao seu fabuloso automóvel, o KITT (um Pontiac Banshee IV – General Motors), preto, todo especial, repleto de sofisticadas tecnologias, incluindo um computador de bordo que falava e interagia como se de uma pessoa se tratasse. O KITT (Knight Industries Two Thousand) era o resultado do desenvolvimento de inteligência artificial da FLAG - Foundation for Law and Government, cujo representante, e cooordenador das missões, era o Devon Miles, interpretado por Edward Mulhare. Para além destes personagens, existia também a Dr. Bonnie Barstow (Patricia McPherson), a mecânica chefe que tratava da "saúde" do KITT. Este papel foi ainda repartido na 2 temporada por April Curtis (Rebecca Holden). Aliás a série está polvilhada de mulheres bonitas, o que não deixa de ser natural.


A série teve a sua produção de 1982 a 1986, com 84 episódios correspondentes a 4 temporadas.
Confesso que nunca me entusiasmou sobremaneira, pois toda aquela tecnologia (demasiado avançado mesmo nos padrões actuais) afigurava-se-me como quase patética, nomeadamente quando o botão do "super turbo" era solução para tudo, tanto para ultrapassar como para sobrevoar os adversários boquiabertos. Parecia-me tudo demasiado inverosímel, ligeiro, previsível, mas, apesar disso, bem à americana, ou seja, com bom efeito.
Mas, pronto, reconheço que a série foi muito popular, sobretudo junto do público feminino que não deixava de suspirar pelo, dizem, bonitão do Michael Knight.


Como seria de esperar, a série teve várias sequelas já nos anos 90 bem como de vez em quando é reposta em alguns canais de televisão, como aconteceu já na TVI, em 2009, com o remake “O Novo Justiceiro”, com 17 episódios, com várias alterações ao nível do elenco.

Não há amor como o primeiro.

knight_rider_1

knight_rider_2

knight_rider_4

knight_rider_3

knight_rider_5

O vídeo com o tema de abertura: Link


7 comentários:

  1. Epá a reposição da TVI é que não. Com o sennhor a dizer: " Kit amigão, mi vem buscar" chiça, não há pachorra.

    ResponderEliminar
  2. Devo dizer que tenho acompanhado com algum interesse. A série não era tão má como eu pensava lembrar-me! Está visto que a dobragem brasileira da reposição TVI me traumatizou profundamente.

    E já agora, o tal remake de 2009 está a passar no SyFy e é mesmo, mesmo mau...

    ResponderEliminar
  3. Eu não acredito que encontrei o verdadeiro blog da nostalgia dos quarentões!!!! Isto é fantástico!!!
    Estarão escondidos por aqui os Pequenos Vagabundos? Vou procurar.... :)

    ResponderEliminar
  4. E não é que estavam mesmo! :)
    Eh pá... imperdível, este blog.

    ResponderEliminar
  5. nêspera:
    Bem-vinda!

    Seria imperdoável para os quarentões, como nós, que não vivessem por cá Os Pequenos Vagabundos.

    ResponderEliminar
  6. depois desta noticia que deixo o link , bem que fazia falta um justiceiro
    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/humilhada-por-quatro-violadores

    ResponderEliminar
  7. Acesse http://down-uploads.blogspot.com.br/ para baixar todos os filmes dublados (Português-Br) das 4 temporadas da antiga série da Super Máquina.

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: