12/06/2011

Casamentos de Santo António



Os casamentos de Santo António são uma das interessantes tradições ligadas à festividade deste santo popular na cidade de Lisboa, que tem o seu dia a 13 de Junho, feriado municipal.
A cerimónia dos casamentos teve o seu início em 1958, portanto já com 53 anos de vida, então uma iniciativa do jornal Diário Popular, que permitia um casamento apoiado a noivos com algumas dificuldades económicas.
Hoje em dia a iniciativa está a cargo da Câmara Municipal de Lisboa, e embora ainda esteja subjacente um possibilidade de casar com pompa e circunstãncia e de forma económica, a verdade é que a tradição já não é o que era. O casamento na sua forma clássica está em profunda crise e até já se estendeu a pares homossexuais, pelo que os modernos casamentos de Santo António são essencialmente um acontecimento mediático e televisivo, com todas as nuances tão características à volta dos vestidos, dos penteados, dos ramos, etc. Para além disso, pouco sobrará.

Só por curiosidade seria interessante saber as estatísticas das separações e divórcios relacionados aos casamentos de Santo António.
A RTP transmitiu hoje a respectiva cerimónia de mais uma edição destes populares casamentos, pelo que, dentro deste contexto, publicamos hoje algumas capas da revista Crónica Feminina, do início dos anos 60, com várias noivas e noivos, aliás um tema de capa recorrente nesse popular revista dos anos 60 e 70.

cronica feminina noivos_1

cronica feminina noivos_2 
cronica feminina noivos_3

cronica feminina noivos_4

2 comentários:

  1. Meu caro amigo

    Como eu gostaria de lhe poder oferecer, prova material do tempo, capaz de lhe ser útil neste reviver o passado sempre tão rico e singular com que sempre nos presenteia. Creia que gostaria imenso.
    Os anos e as voltas da vida, encarregaram-se de me roubar todas essas pequenas recordações que possuía e, tenho tanta pena!!
    É por isso que este seu espaço é, para mim, muito especial. É por isso que, não tendo mais nada para lhe oferecer, lhe dou a minha sincera gratidão, no respeito e no mérito que lhe reconheço.

    Um abraço amigo e... não perca o animo!!

    ResponderEliminar
  2. Maria João,
    basta-nos essas palavras de apreço e simpatia.
    Afinal é para provocar as nostalgias, logo reviver, que o Santa Nostalgia vai trilhando caminho.
    Volte sempre!

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Talvez queira rever: