.post-body img {margin: 0 auto; text-align: center; }

12/03/2021

Uroxol - A partir pedra...

 


Cartaz publicitário do ano de 1936 ao UROXOL, um granulado supostamente dissolvente do ácido úrico.

Hoje em dia existem vários medicamentos para controlo ou redução do ácido úrico, mas nas pesquisas efectuadas, nada anunciado com a propriedade de dissolvente. Para isso, parece que dá resultado frequentar as Termas da Curia, pelo menos era o que fazia o meu amigo Onofre que todos os anos ía para lá durante uma semana tragar copos de água  com a mesma vontade com que no resto do ano emborcava cervejas. 

Quanto ao cartaz, ficamos algo confusos e sem saber se o produto se destinava a ser bebido ou se a gargarejar na boca. 

Seja como for, um cartaz dentro dos padrões gráficos da época.

Do Uroxol, também não há sinais de que ainda exista, sendo que existe e com boa saúde empresarial, a Bial, a farmacêutica fundada em 1924 por Álvaro Portela, numa história que começou na Farmácia do Padrão, no Porto. 

A empresa, atingiu o ponto mais alto em 2013 com o regulador do mercado farmacêutico norte-americano, Food and Drug Administration (FDA), a aprovar a utilização do acetato de eslicarbazepina, um fármaco utilizado como anti-epiléptico, o qual patenteado em 1996 demorou 15 anos a ser desenvolvido e que a par do Ongentys, um medicamento cujo  princípio ativo é a opicapona, desenvolvido pela Bial, que atrasa os sintomas da progressão da doença de Parkinson, são os produtos de charneira da empresa e que têm sido licenciados em vários países. Outro medicamente muito conhecido é o Reumon Gel, para tratamento tópico das situações inflamatórias de origem traumática ou reumatismal, lançado em 1978.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.