.post-body img {margin: 0 auto; text-align: center; }

01/07/2021

Jornal do Cuto

 



Foi em 1935 que no jornal espanhol "Boliche" apareceu o Cuto, uma criação do artista Jesus Blasco, um rapaz adolescente, impregnado de espírito de aventura. Inicialmente num registo mais humorístico, na companhia dos amigos Gurripato e Camarilla, mas a partir de 1945 apenas acompanhado pela sua namorada Mary, é levado nessas aventuras a vários locais do mundo num envolvimento audaz em situações de guerras, conflitos, mistérios e investigações policiais.

Cá por Portugal a sua aparição deu-se em 12 de Fevereiro de 1949 na revista "Gafanhoto, no número 10.

Em face da crescente popularidade em 7 de Julho de 1971 o personagem deu nome a uma publicação própria, o "Jornal do Cuto", propriedade da Portugal Press, dirigida por Roussado Pinto. Esta revista para além das aventuras do Cuto continha diversas outras histórias de outros autores em regime de continuação.

A revista, indicada como para maiores de 12 anos, durou de 1971 a 1978, com um total de 174 números, com um número irregular de páginas. 

Começou por ser de tiragem semanal (do Nº 1 ao Nº 53, com alterações no dia de saída), passando depois, por dificuldades económicas, a mensal, desde o nº 94 ao 107. 

Depois, a partir do nº 108 passou a quinzenal. Em 1 de Junho de 1974, no nº 109, por alegadas dificuldades no mercado do papel, é anunciada a suspensão da publicação. É retomada a publicação em 10 de Setembro de 1975, com tiragem semanal. Novas dificuldades no preço do papel, ditam que a partir do nº 137 de 15 de Março de 1976 a edição passe a quinzenal. Em 1 de Junho de 1977 volta a passar a mensal e em Fevereiro de 1978 volta a anunciar a suspensão que acabaria por ser definitiva.

Para além das dificuldades que eram comuns ao mercado do papel, a revista nunca conseguiu ultrapassar o prestígio e sucesso de revistas concorrentes como a "Mundo de Aventuras" e "Tintin".

O custo da revista variou ao longo da sua existência desde os 5 aos 15 escudos. Tinha regime de assinaturas, em regra mais caras que as revistas concorrentes.

Nas imagens acima, a capa do Nº 88 de 15 de Março de 1973, com o Príncipe Valente, edição que no seu interior trazia um poster da capa do Nº 1 da revista "O Mosquito".



Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.