.post-body img {margin: 0 auto; text-align: center; }

16/11/2021

Feirando

 















As fotografias são dos anos de 1950, de autoria de Artur Pastor (Alter do Chão - Portalegre - 01-05-1922, Lisboa, 17-09-1999), um nome grande da fotografia de costumes do séc- XX, e foram captadas numa das maiores e antigas feiras do país, a de Barcelos. 

No entanto, todas as cenas podiam perfeitamente ser das feiras cá da minha região (Beira Litoral), como as de quase todo o país por esses tempos.

Sobressaem sobretudo os trajes da época e a simplicidade da organização, quase sem tendas, com os guarda-chuvas a proteger do sol, e com as mercadorias dispostas no chão. Desde gado, animais de capoeira, produtos do campo, de olaria, cestaria, peixe, etc, as feiras nesses tempos tinham uma importância acrescida  e praticamente quase só nelas, sobretudo em zonas mais rurais, é que se podiam adquirir os produtos necessários ao quotidiano da casa e da lavoura.

Como nota curiosa, como por esses tempos as creches eram luxos ou nem existiam, repare-se que por ali se veem muitas crianças ao lado das mães vendedoras.

1 comentário:

  1. Nas fotografias vemos mulheres Portuguesas, bonitas, trabalhadoras, genuínas, bem ataviadas, e orgulhosas da sua identidade.

    É uma pena que hoje as feiras para além de só terem lixo, tenham sido capturadas quase na totalidade, por gente desonesta e com muito mau aspecto, sem qualquer tipo de raízes ou identidade, para não falar do facto de a maioria não possuir perfil para a profissão de Feirante.

    ResponderEliminar

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.