29/09/2016

Major Alvega



Quem já não ouviu falar do Major Alvega, herói da aviação militar inglesa durante a II Guerra Mundial? Que mais não fosse, pela série portuguesa com o mesmo nome realizada  e passada pela RTP no final dos anos 90 com Ricardo Carriço a interpretar o aviador e António Cordeiro no papel do militar nazi Von Block e narrativa do saudoso Fernando Pessa, a qual tinha a particularidade dos cenários terem um look de animação.
Mas o Major Alvega é sobretudo conhecido pelas suas aventuras na Banda Desenhada e que entre nós foi presença habitual e regular sobretudo na emblemática revista "O Falcão"
Pela parte que me toca, para além deste herói da aviação, os meus outros heróis preferidos que iam desfilando semanalmente nas aventuras ilustradas da revista "O Falcão", eram o Ogan, Kalar, Sandor e Oliver (Robin dos Bosques).




De acordo com a descrição na Wikipedia: Major Alvega é uma personagem fictícia, ás da aviação anglo-portuguesa da RAF (Royal Air Force, a Força Aérea Britânica)....No título original em inglês chamava-se "Battler Britton - England's Fighting Ace of Land, Sea and Air" e foi criado em 1956 para a revista britânica Sun, por Mike Butterworth (argumento) e Geoff Campion (desenho) e chegou a ser desenhado por vários desenhistas de renome tais como, Hugo Pratt, José Ortiz, Dino Battaglia ou Luigi (Gino) D'Antonio para a editora Fleetway [2]. Foi protagonista das mais variadas aventuras, todas caracterizadas por muita acção, suspense e um toque de humor, nas quais defrontou (e venceu) alguns dos mais importantes intervenientes da Segunda Guerra Mundial: Rommel, Goering, Hitler e Mussolini. No entanto, numa época em que a censura (ao serviço de um Estado Novo fervorosamente nacionalista) obrigava todos os heróis do género a figurarem nomes portugueses (e por consequência alguma forma de ascendência lusa), o protagonista seria rebaptizado por Mário do Rosário, director da revista "O Falcão", e por Anthímio de Azevedo, o tradutor, para Jaime Eduardo de Cook e Alvega, um ribatejano por via paterna e inglês por via materna, que teria estudado em Coimbra, tendo também sido alterada a sua patente de tenente-coronel para Major.






28/09/2016

Sonasol–Seca-Louça

 

sonasol_brinde

Voltamos ao Sonasol, num cartaz publicitário de meados dos anos 60, desta feito a divulgar a oferta de um super brinde, nada mais nada menos que um utilitário seca-louça em plástico inquebrável.

21/09/2016

A Família Prudêncio





Pelos primeiros anos da década de 1970, a RTP, a preto-e-branco, pois claro, passava com frequência a pequena animação "A Família Prudêncio", a qual, encomendada por entidade estatal, num registo ligeiro e divertido informava e instruía o Portugal rural dos procedimentos de higiene e segurança a ter com os pesticidas.

Em resumo, numa época em que se generalizava o uso de pesticidas pela gente da lavoura, o filmezinho era um importante aviso à prudência e ao cuidado. É certo que decorrido quase meio século, à luz dos actuais conhecimentos sobre os pesticidas, concluímos que os Prudêncios até tinham procedimentos incorrectos e imprudentes, como o enterrar e queimar das embalagens, mas na altura era uma prática considerada adequada. Mas é assim a evolução dos tempos e certamente que muitos dos procedimentos de hoje parecerão retrógados daqui a mais algumas décadas.

Esta curta animação foi realizada por Artur Correia para os estúdios Top Filme. De resto, para além de em 1970 realizar "Eu Quero a Lua",  considerada a primeira animação portuguesa, são dele outras emblemáticas animações da época, porventura a mais conhecida a ""Vamos Dormir/Meninos Rabinos", de 1971 e que durante algum tempo, com a família Pituxa dava sinal aos mais pequenos para recolherem às caminhas.




O Valorfito, sistema integrado de gestão de embalagens e resíduo em agricultura, aproveitando o conceito, deu uma nova vida à família Prudêncio, com outro grafismo e com as modernas tecnologias mas, não, não é a mesma coisa. 


Sobre o Valorfito
O sistema Valorfito surgiu em 2005 após a aprovação do licenciamento por parte da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), com o objectivo de proceder à recolha dos resíduos de embalagens primárias de produtos fitomarcêuticos e sua gestão final, encaminhando-as para as estações de tratamento e valorização energética.
O sistema permite que os produtores agrícolas possam dar o destino correcto aos resíduos dos produtos fitofarmacêuticos que geram nas suas explorações, cumprindo a legislação em vigor nesta matéria.
O sistema Valorfito é gerido pela Sigeru, Lda., uma empresa participada pela Anipla – Associação Nacional da Indústria para a Protecção das Plantas – e pela Groquifar – Associação de Grossistas de Produtos Químicos e Farmacêuticos.

18/09/2016

Melhoral Infantil

 

melhoral_infantil_comprimidos_sn

Cartaz publicitários aos comprimidos Melhoral Infantil, publicado em meados dos anos 60.

aqui falamos destes emblemáticos e populares comprimidos.

Talvez queira rever: