03/11/2009

Chicles MAY - O chicle da juventude - Repost


Quem se recorda dos famosos cromos e das não menos famosas Chicles da May Portuguesa?
Hoje dizemos chicletes, mas no final dos anos 60 e princípios de 70, o termo era chicles ou mesmo pastilhas elásticas. Conforme se pode ver na imagem imediatamente acima a descrição até era a de "goma de mascar" e no inglês "chewing-gum".  As chicles da May eram de facto excelentes, pela sua elasticidade, sabor e, acima de tudo, o aroma inesquecível. Pelo menos hoje temos essa memória.
  
Quanto à May, marca ou empresa, pouco ou nada se sabe. Sabe-se que era uma empresa internacional com filiais em vários países. Assim, por cá tínhamos a May Portuguesa, S.A.R.L., com localização na Coina - Barreiro, mas também existia a May espanhola, francesa e certamente a inglesa, embora com poucas referências.
Certo é, que associados à venda das pastilhas elásticas estavam quase sempre os produtos coleccionáveis, como cromos e vinhetas. De resto fica-se sem saber se eram os cromos que vendiam as chicletes se o contrário. Mas, claro, os "chicles" eram vendidos noutros formatos e mesmo com vários sabores e mesmo sem cromos.

Das várias colecções de cromos da May editadas em Portugal, sobretudo entre os finais dos anos 60 e princípios dos anos 70, os de temática do futebol eram sem dúvida as mais populares. Regra geral as colecções da May era editadas ou produzidas pela Agência Portuguesa de Revistas, sendo que esta acabava por reproduzir com ligeiras variações cromos com fotogramas já publicados noutras suas colecções.
Para além do popular tema de futebol, a May também fez editar colecções com outros interesses, como ciclismo ou de temática didáctica. Pessoalmente recordo-me da "Hippy" e "Os segredos do mar".

Tanto os cromos como os álbuns, actualmente são extremamente raros e valiosos, sendo, a par dos cromos de caramelos, um dos artigos mais procurados e desejados pelos coleccionistas.
Como não podia deixar de ser, nessa altura, fartei-me de coleccionar cromos da May e por arrasto, saborear as deliciosas chicles.

Com o tempo, e as suas vicissitudes, a maior parte dos cromos perdeu-se ou foi pasto de algumas fogueiras ateadas pela ira maternal. Naquele tempo era assim: Primeiro o trabalho, as obrigações e só depois a brincadeira e lazer. Mesmo assim guardo alguns exemplares e, acredite-se, ainda estão impregnados desse inconfundível aroma das chicles.

chicles may_santa nostalgia

image

image

image

image

image


image
image
image

chicles may_cromo_santa nostalgia




Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

TALVEZ QUEIRA REVER