Brinquedo Osul – Estádio de Futebol - Espelho




Hoje trago à memória um simples mas prático e interessante objecto, que é simultaneamente um jogo e um espelho. Este brinquedo, com sensivelmente 50 mm de diâmetro e 15 mm de espessura, era fabricado pela Osul. Esta fábrica que produziu inúmeros brinquedos que povoam agora o nosso imaginário infantil, teve a sua origem em 1931, na cidade de Espinho. Então, os irmãos Manuel Henriques (1886-1954) e Artur Henriques (1892-1965), provenientes de Lisboa, fundaram uma pequena empresa de bijuterias e quinquilharias diversas, designada de Henriques e Irmão, Lda, que derivou depois para Luso Celulóide. Nos anos 50 os irmãos apartaram a sociedade e um deles prosseguiu a actividade com uma nova marca, a Hércules e o outro continuou mas mudando o nome de Luso Celulóide para Osul (Luso lido ao contrário). Curiosamente, neste brinquedo é possível lêr-se as duas designações (Luso e Osul).

Para além dos interessantes aspectos ligados à história da empresa em questão, que pela Web podem ser encontrados, a verdade é que os inúmeros brinquedos que fabricou, mesmo as internacionalmente conceituadas miniaturas de automóveis com a marca Metosul, designação que a empresa adoptou já numa fase posterior aquando da introdução no fabrico de maquinaria de fundição injectada, fazem hoje parte das nossas mais gratas memórias do tempo de criança e as brincadeiras associadas.

Este brinquedo em particular, fez parte das minhas brincadeiras no final dos anso 60 e princípios de 70. Para além da óbvia função do espelho de bolso, o jogo traduzia-se numa representação de um estádio de futebol, com bancadas, relvado e  balizas. Dentro do estádio existe uma pequena bola, uma esfera metálica e o princípio do jogo passa por tentar introduzir a bola numa das balizas. É claro que este jogo podia ser  disputado a dois, em que cada criança tinha direito a uma, duas ou três tentativas, estipulando-se um critério para terminar o jogo que poderia ser por um determinado número de séries de lançamentos, de modo a encontrar-se um vencedor. 
  
Recordo-me muito bem que este brinquedo, de que tive vários exemplares, acompanhava-me sobretudo em locais onde tivesse que esperar, nomeadamente no barbeiro, mas também nas horas de recreio onde com os colegas disputávamos campeonatos.
Compare-se o brinquedo em toda a sua simplicidade com uma das actuais consolas de jogos, mesmo as mais banais e de facto as diferenças são abismais, mas a magia que sobrou desses temos e desse brinquedo, como de outros, é  inconfundível e intemporal.

Artigo relacionado: [Link]


brinquedo osul estadio sn2

brinquedo osul estadio sn4

brinquedo osul estadio sn3

brinquedo osul estadio sn5

Comentários

  1. Se vendían en mercadillos al aire libre en la Romería de Rodeiro (Castro Laboreiro), mes de agosto.

    ResponderEliminar
  2. lembrei-me das bolas de serradura pequeninas com cerca de 5cm de diametro forradas a papel de prata e passadas várias vezes com um cordel em várias direcções, depois levava um elástico preso ao remate do cordel, e nós brincavamos com elas como se fosse um io-io para cima e para baixo, batendo na nossa mão. Não está lá muito bem explicado. Alguém se lembra? conseguem explicar melhor que eu? obrigado...

    ResponderEliminar
  3. Lembro-me muito bem dessas bolas que brincavamos como se fosse um io-io. Se conhecesse alguém que as tivesse ainda hoje comprava uma. Está muito bem explicado. Fernando Bento

    ResponderEliminar
  4. Se conhecerem alguém que tenha um destes "Estádio de Futebol - Espelho" digam-me por favor que eu compro. clarinando1@gmail.com

    ResponderEliminar
  5. Quem sabe onde posso encontrar um espelho destes para comprar? clarinando1@gmail.com

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Os comentários estão sujeitos à prévia aprovação por parte do autor do blog.

Mensagens populares deste blogue

Colecção Formiguinha – Editorial Majora

Una, duna, tena, catena...

Revista Novela Filme - O homem que fazia chover

Pub-CF