As aventuras de Flash Gordon


Com algum atraso, hoje trago à memória a série de televisão em animação "As aventuras de Flash Gordon", do original "The adventures of Flash Gordon".

A série é composta por 24 episódios com a duração de aproximadamente 20 minutos, tendo sido produzida pela Filmation Associates, nos Estados Unidos, entre 1979 e 1982. Foi baseada nas histórias de banda desenhada por  Alex Raymond na década de 1930 e com alguma influência do filme Star Wars que estava a ser um sucesso após o seu lançamento em 25 de Maio de 1977..

As aventuras da série centram-se na figura do aventureiro espacial Flash Gordon, a sua bela namorada, Dale Arden e o cientista Dr. Hans Zarkov.

O Dr. Zarkov inventa um foguetão no qual embarcam os três numa viagem que os leva ao planeta Mongo. Com a nave em dificuldades acabam por entrar no planeta precipitando-se no mar.

O planeta Mongo é formado por vários reinos e habitado por civilizações diferentes, algumas tecnologicamente avançadas, outras nem por isso, mas que estão ambas sob o domínio implacável do tirano imperador Ming, o Impiedoso, uma das figuras centrais das histórias.

Logo após sua chegada a Mongo e depois de serem resgatados, os três terrestres fazem amizade com o príncipe Barin, com uma aparência medieval tipo Robin dos Bosques, o qual será o herdeiro legítimo do trono usurpado por Ming. O príncipe e seus seguidores foram banidos por Ming para o reino de Arbória, uma espécie de floresta tropical - incluindo a própria filha, Aura, noiva de Barin mas que conhecendo Flash se enamora por ele e o salva em diferentes situações. 

Flash, Dale e Zarkov juntam-se então à luta de Barin para recuperar o trono, juntando-se a eles outros reinos e civilizações e figuras como a de Vultan, rei dos homens-falcão, a Raínha Fria, do reino gelado Frígia, Thun, o Homem-Leão, bem como a própria filha de Ming, a voluptuosa Aura.

A série desenvolve-se num gênero de ficção científica mas com uma mistura de aventura e fantasia em ambientes exôticos, numa mistura de elementos que remetem para períodos bem menos dados à ficção científica. Assim, tanto temos uma batalha com naves espaciais e homens montados em falcões figantes, soldados robôs com armas a laser e ainda espadas, arcos e flechas.

No fundo, no planeta Mongo temos simultaneamente diferentes civilizações em diferentes tempos, como se numa analogia ao planeta Terra, se desenvolvessem em simultâneo as épocas da grécia clássica, a idade média e algo mais futurista.

Outra das particularidades da série que não passava despercebida à malta mais crescida, era a representaçação de uma certa voluptuosidade com as mulheres, tanto as que rodeavam o imperador Ming como as demais, incluindo Dale e Aura, com corpos esbeltos e com trajes reduzidos no que hoje se diria de super sexys. 

Em resumo, esta série, no tempo e contexto em que foi produzida e exibida tornou-se um produto interessante a cativador para os mais novos e mesmo os mais crescidotes, que a seguiam com interesse e algum entusiasmo.

Escusado será dizer, mas diz-se, que as aventuras de Flash Gordon foram desde o seu início muito populares e deram lugar a variados géneros, desde a inicial banda desenhada, à literatura, bem como rádio, televisão e cinema. Mesmo em animação existem várias outras versões, como a de 1996, "New Adventures of Flash Gordon", com 26 episódios de 30 minutos cada







Comentários

Mensagens populares deste blogue

Una, duna, tena, catena...

Revista Novela Filme - O homem que fazia chover

A Comunhão Solene ou Profissão de Fé

Pub-CF