Jogo do Monopólio - Monopoly


O "Monopólio", no original "Monopoly" é um clássico jogo de tabuleiro que simula a experiência de compra, venda e desenvolvimento imobiliário. O objetivo do jogo é acumular riqueza e levar à falência os adversários concorrentes. Uma lista das suas principais características:

1. Objetivo: O principal objetivo é ser o último jogador com dinheiro no jogo, enquanto os outros jogadores vão à falência.

2. Tabuleiro: O tabuleiro é composto por propriedades, empresas e espaços especiais, com nomes adaptados a cada país onde se vende. No caso da versão portuguesa há sobretudo edifícios reportados às cidades de Lisboa e Porto. Em Portugal o Monopólio teve sua primeira edição sob os cuidados da Majora/Parker Brothers Portugal na década de 1950, com o seu nome traduzido. Contudo, em 1961, uma nova edição foi lançada pela Majora, cedendo à pressão da Parker Brothers e adotando a designação internacional Monopoly. Nessas versões lusas, as propriedades são nomeadas a partir de ruas notáveis, predominantemente de Lisboa e Porto, além de estações ferroviárias. Embora os nomes das ruas possam variar nas diferentes versões, destaca-se que o Rossio (Lisboa) consistentemente figura como a propriedade mais valiosa, enquanto o Campo Grande (Lisboa) mantém sua posição como a menos valiosa. Cada propriedade pode ser comprada, vendida e desenvolvida.

3. Dinheiro: Os jogadores começam com uma quantia em dinheiro e ganham ou perdem dinheiro conforme avançam pelo tabuleiro.

4. Propriedades: Os jogadores podem comprar propriedades quando caem em espaços não adquiridos. Possuir conjuntos de propriedades do mesmo tipo aumenta o valor de aluguel cobrado aos oponentes que caem nelas.

5. Construções: Os jogadores podem construir casas e hotéis em suas propriedades para aumentar o valor do aluguel. Quanto mais desenvolvida a propriedade, maior o custo para os adversários.

6. Sorte e Estratégia: O jogo envolve sorte, já que os jogadores avançam de acordo com os resultados de dados, mas também requer estratégia na compra, negociação e gestão de propriedades.

7. Cartas de Sorte ou Revés: Os jogadores podem receber cartas de "Sorte" ou "Azar" que trazem eventos inesperados, como multas ou recompensas financeiras.

8.Falência: Se um jogador não consegue pagar suas dívidas, ele vai à falência e seus ativos são geralmente distribuídos entre os outros jogadores.

O Monopoly é conhecido por suas longas partidas e negociações intensas, tornando-se um clássico intemporal no mundo dos jogos de tabuleiro.

Alguns apontamentos sobre a sua origem e história:

O Monopoly foi criado nos Estados Unidos por Elizabeth Magie no início do século XX. Em 1935, Parker Brothers, uma empresa de jogos de tabuleiro, adquiriu os direitos do jogo e o lançou com algumas modificações. O jogo foi inicialmente chamado de "The Landlord's Game" e tinha o objetivo de ilustrar as consequências negativas da concentração de propriedade.

Charles Darrow, um desempregado durante a Grande Depressão, adaptou o jogo e o apresentou à Parker Brothers. A empresa inicialmente rejeitou, mas depois reconsiderou diante de sua crescente popularidade. Em 1935, o Monopoly foi lançado comercialmente e imediatamente tornou-se num enorme sucesso porque reflectia a mentalidade da época, centrada em acumulação de propriedades e riqueza.

O Monopoly rapidamente se espalhou para outros países, e diversas versões locais foram criadas ao longo dos anos. O jogo foi adaptado para refletir as ruas e propriedades das cidades em todo o mundo.

Ao longo das décadas, várias edições temáticas do Monopoly foram lançadas, incorporando elementos de cultura popular, marcas famosas e locais icônicos.

O Monopoly tornou-se um fenômeno cultural, sendo um dos jogos de tabuleiro mais conhecidos e jogados em todo o mundo. O jogo também gerou competições e estratégias avançadas entre os jogadores. Apesar das mudanças e adaptações ao longo dos anos, o Monopoly continua sendo um dos jogos de tabuleiro mais populares e reconhecíveis, mantendo sua posição como um clássico intemporal.

Charles Darrow permaneceu perpetuamente vinculado ao Monopoly, sendo creditado como seu inventor pela Parker Brothers, a empresa que adquiriu os direitos do jogo. A Hasbro consolidou essa herança ao adquirir os direitos na década de 1990, marcando uma transição crucial na história do Monopoly.

Por tudo, pela sua história e características, o jogo do Monopólio de facto é um clássico intemporal, mantendo-se popular mesmo na era dos sofosticados jogos electrónicos.

Versão inicial, ainda em escudos

Esquema actual de versão em Portugal, desde 2006

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Colecção Formiguinha – Editorial Majora

Una, duna, tena, catena...

A Comunhão Solene ou Profissão de Fé

Pub-CF